Em Florianópolis, 2º Festival Lanterna Mágica de Cinema vai exibir 22 filmes no Ribeirão da Ilha

O 2º Festival Lanterna Mágica de Cinema – Trabalhadoras anuncia a programação completa, que ocorre de 23 a 26 de novembro, na Praça Hermínio Silva, em frente à Igreja Nossa Senhora da Lapa, na Freguesia do Ribeirão da Ilha em Florianópolis. Com o tema Trabalhadoras, o Festival prestigia a produção de cinema feita por mulheres, com exibição de 22 filmes – entre curtas, médias, longas e videoclipes – , todos com realizadoras mulheres na direção ou em funções de liderança (roteiro, prod. executiva, dir. de foto, dir. de arte etc).

Serão cinco mostras em quatro dias: Temas Indígenas, Pioneiras do Cinema, Cinemas Negres e Mulheridades, além de uma mostra especial em parceria com a Aliança Francesa Florianópolis. A programação completa está no site www.lanternamagica.art/programacao.

No primeiro dia, quinta-feira (23), com a mostra Temas Indígenas, a abertura será às 19h e o destaque fica por conta do documentário experimental TEKO HAXY, de Patrícia Ferreira Pará Yxapy e Sophia Pinheiro. O filme traz a relação de duas artistas, uma cineasta indígena e uma artista visual e antropóloga não-indígena. Diante da consciência da imperfeição do ser, entram em conflitos e se criam material e espiritualmente. Nesse processo, se descobrem iguais e diferentes na justeza de suas imagens. DJ Natte anima a primeira noite do Festival.

Na sexta-feira (24), a partir das 19h, haverá a Mostra Especial Aliança Francesa, com exibição de três filmes francófonos, e a Mostra Pioneiras do Cinema. Uma das cineastas homenageadas será Maíra Coelho, e vale conferir o curta-metragem em stop motion Retirantes, livremente inspirado na pintura de Cândido Portinari (Retirantes – 1944). A obra conta a história de uma mulher que vaga por terras áridas e despovoadas sem ter como alimentar seu filho. Na estrada estão os seus iguais, uma procissão que reza por auxílio, crianças, calangos e uma bandinha de forró que caminha em retirada. Com um toque de fantasia, a narrativa revela componentes mágicos lançados sobre as dificuldades e mistérios de um povo esquecido. O filme mescla teatro de bonecos, artes visuais, cinema e é ambientado com elementos peculiares à realidade do agreste e seus fenômenos universais.

A partir das 22h, a atração musical será Iva Giracca, violinista da Camerata Florianópolis, que se apresenta junto de Arthur Boscato.

Fim de semana terá também feirinhas artesanal e gastronômica e shows gratuitos

No sábado, (25), o foco será o cinema produzido por mulheres negras. Neste dia, a partir das 14h, haverá feiras gastronômica e artesanal, além de apresentação da DJ Aisha a partir das 17h. Às 19h, começa a mostra de cinema, com destaque para a exibição de Mares do Desterro, de Sandra Alves, rodado na Praia da Solidão. O filme conta a história de uma família que vive há dez anos isolada numa praia deserta. Uma trama sobre uma complexa relação familiar que inclui um irmão enclausurado, uma mãe que sofre pela fuga da filha e um pai violento.

Quem anima a noite de sábado é a cantora Elen Cristina, com o show Corpo Território, com narrativas do corpo que sente os territórios, principalmente o corpo negro. Acompanhada de Natte Malunga e Laura Gelpi, ela traz interpretações singulares de músicas brasileiras que perpassam diversas temáticas, como ancestralidade, afeto, solidão, amor e espiritualidade.

No último dia do Festival Lanterna Mágica de Cinema, domingo (26), haverá feirinhas e DJs a partir das 14h, além de apresentação do grupo Filhas e Filhes de Eva às 17h. A fanfarra de sopros e percussão, formada por mais de 40 mulheres e pessoas não binárias, traz compositoras mulheres e homenageia figuras da música brasileira, como Gal Costa e Rita Lee. Além disso, toca marchinhas tradicionais, samba-reggaes, axés, funks e ritmos latino-americano. Às 19h inicia a mostra de cinema Mulheridades, com exibição de filmes como Ninguém Nunca Vai Te Amar Como Eu Te Amo, de Fernanda Magalhães e Gustavo Guives, premiado em festivais importantes como o 12º Festival de Cinema de Teresópolis e o 6º Petit Pavé – Festival de Cinema Independente de Curitiba; e Infantaria, de Laís Santos Araújo, premiado no Festival Internacional de Cinema de Berlim (Berlinale) como Melhor Filme (Prêmio Especial do Júri Oficial) da Mostra Generation 14Plus, e com Menção Honrosa de Melhor Filme Internacional no Palm Springs International ShortFest, entre outros.

Sobre o Coletivo Lanterna Mágica

Criado em 2021, o Coletivo Lanterna Mágica reúne artistas e profissionais da cultura de Florianópolis. As ações são focadas no Ribeirão da Ilha, um bairro distante dos principais equipamentos culturais da cidade. Em 2022, o grupo inaugurou um Cineclube, com sessões contínuas e gratuitas de cinema e foco na comunidade do Ribeirão da Ilha e arredores. No mesmo ano, o coletivo realizou  a primeira edição do Festival Lanterna Mágica, com produções catarinenses realizadas por mulheres. O grupo também já produziu e apoiou a realização de três curtas-metragens.

O 2º Festival Lanterna Mágica de Cinema – Trabalhadoras é um projeto selecionado pelo Prêmio Catarinense de Cinema, executado com recursos do Governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Cultura.

Festival Lanterna Mágica de Cinema – Trabalhadoras

23 a 26 de novembro

Praça Hermínio Silva, em frente à Igreja Nossa Senhora da Lapa, na Freguesia do Ribeirão da Ilha.

Mais informações e programação completa:@coletivolanternamagica e https://www.lanternamagica.art/programacao

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *